Projectos Recentes · Moradias · Prédios de Habitação · Comércio / Indústria / Serviços · Urbanismo · Design e Decoração

   

O Projecto de Arquitectura

A forma de um edifício resulta da resposta a todas as condicionantes que é preciso considerar: existe primeiro o próprio lugar com as suas linhas de força naturais (vistas, ângulos de aproximação), o sol, os ventos a topografia. Depois é preciso responder a um programa, um orçamento e a questões técnicas e legais (quantas divisões, como se quer viver ou trabalhar, quais as ambições dos proprietários, quanto custa este ou aquele material, como estará daqui a dez ou vinte anos). Para organizar tudo isto tem que haver uma geometria que dê ordem, estabeleça hierarquias e oriente o conjunto. Por fim existe ainda o nosso imaginário, onde vamos buscar as nossas referências arquitectónicas, podendo analisar os exemplos da história e daí partir para novas soluções.

Caracterização das linhas arquitectónicas

Em termos de organização espacial, nos meus projectos existe sempre uma relação muito forte entre o espaço interior e o espaço exterior. Encaro este último como espaço para se viver, pelo que deve ser desenhado para ser usado e não apenas como aquilo que sobra depois de implantada a construção.

Uma casa (ou um espaço de trabalho) é feita para ser vivida pelo que os aspectos funcionais, as coisas do dia-a-dia, têm que ser pensadas. Temos que imaginar com é que as pessoas vão usar aquele edifício. Alguns projectos modernos não resolvem bem estes aspectos e em espaços usados por pessoas com hábitos diferentes umas das outras podem tornar-se um problema. Por exemplo, nas habitações considero importante a divisão das zonas de estar e conviver das zonas de descanso. Essencialmente a divisão acústica. Se alguém precisa de alguma privacidade visual, pode facilmente correr uma cortina ou colocar um biombo, mas a separação acústica é uma questão que tem de vir resolvida de origem.

Em termos visuais, os meus projectos reflectem a atitude optimista com que encaro a vida. Em vez de linhas demasiado monótonas ou cúbicas, opto por cores, formas, luz e materiais escolhidos que transmitam sentimentos positivos, de conforto e harmonia. Não acredito na beleza do feio.

As minhas principais referências arquitectónicas têm origem na história da arquitectura moderna de um modo geral. Gosto especialmente do movimento orgânico norte-americano de entre as duas guerras mundiais, com ênfase para Neutra, Wright e a escola californiana.

O projecto deve ser concebido livremente pelo arquitecto ou partir da imposição dos proprietários?

Preferencialmente, e para bem do resultado final, os proprietários devem dar liberdade ao arquitecto quanto à concepção do projecto. Devem, contudo, apenas definir o programa que deverá caber no espaço a edificar e, naturalmente, as limitações orçamentais da obra. Claro que liberdade não quer dizer não tentar satisfazer as necessidades e anseios dos proprietários ou não dialogar com eles na procura e justificação das melhores soluções. Liberdade implica também resolver todas as outras condicionantes em que a maior parte das pessoas nem sequer pensa, e exprimi-lo esteticamente da forma mais interessante.
 

Depoimento sobre arquitectura

É interessante verificar que cada vez surgem mais pessoas interessadas em procurar projectos de qualidade. Penso que uma das consequências da massificação do ensino, foi a tomada de consciência de que existem níveis de qualidade estética que podem e devem ser exigidos pelo cidadão comum. Verifico que as gerações mais nivas tendem a possuir, em média, um nível de conhecimento sobre as artes superior às gerações antecedentes. As pessoas começam a valorizar mais a qualidade e a sentir necessidade de comprar bons projectos, principalmente quem anseia por melhor qualidade de vida. Surgem cada vez menos pessoas dispostas a pagar mais por um móvel para a sala do que por um projecto de arquitectura. Porque é na harmonia do conjunto, no cuidado com que o arquitecto pensa em cada pormenor, na personalização de cada projecto que se estabelece a verdadeira qualidade da arquitectura e não nos materiais luxuosos, no vídeo-porteiro ou nos móveis mais requintados.


  


   


   


 

Projectos Recentes · Moradias · Prédios de Habitação · Comércio / Indústria / Serviços · Urbanismo · Design e Decoração